O que foi legal e o que não deu certo em Gilmore Girls: um ano para recordar

Fãs de Gilmore Girls. Precisamos conversar. 

Já falei da série aqui no Procura-se Ideias e esperar a Netflix lançar o revival no dia 25 de novembro foi uma aflição muito grande. O dia chegou, me emocionei muito ao rever Stars Hollow e os velhos personagens. Cheguei a assistir duas vezes. Uma para chorar e sorrir feito boba e outra para entender tudo que perdi, porque vamos combinar, QUE FINAL FOI ESSE? 

Bato palmas para muitas decisões tomadas em Gilmore Girls, um ano para recordar, mas há outras decisões que me deixaram com a pulga atrás da orelha. Resolvi dividir essa publicação em "bad news and good news" para facilitar a leitura. Vamos começar pelo dark side. LEMBRANDO QUE HÁ SPOILERS!


RORY GILMORE SEM SUCESSO: 
Entendo mas não compreendo. Sou estudante de jornalismo e sei do cenário louco dessa profissão. Um dia lá em cima, outro lá em baixo. O que não entra na minha cabeça é: como uma pessoa com o currículo de Rory não conseguiu pelo menos um local para morar? Ela é formada em Yale, é super empoderada e vale lembrar que no final da série ela saiu para fazer um estágio com a equipe do Barack Obama, o presidente dos EUA (pelo menos, até novembro de 2016). É sério que precisava trazer ao revival uma Rory cujos pertences estão espalhados por vários continentes? Sem um endereço? Não bastava a bad da profissão não?



TEMPO PERDIDO COM O MUSICAL:
Gente. Socorro. As cenas do musical do Taylor eram enormes e desnecessárias. Já conhecemos Stars Hollow e amamos ela do fundo do nosso coração sem ser preciso quase 30 minutos de cantigas sobre a cidade. A série nunca deu espaço para esse tipo de cena like a High School Musical. Essa parte poderia ter um espaço bem menor o que abriria brechas para outros personagens aparecerem. 



CADÊ SOOKIE E DEAN?:
Mesmo sendo #teamlogan senti muita falta de ver mais o Dean na série. Entendo que dos três namorados ele foi o cara que seguiu sua vida, formou família e deixou a Rory no passado mas, custava dar um pouco mais de abertura para o cara? Seilá né, talvez uns 5 minutos daquele musical poderiam ser transferidos para ele. E CADÊ A MINHA SOOKIE? Ver ela me fez chorar de alegria. Mas essa história de passar dois anos em um projeto paralelo, nhé, não colou muito bem. 

Tirando os pontos negativos, os momentos mais legais que encheram meu coração foram os que seguem:



A BRIGADA DE VIDA E MORTE:
Colin, Finn, Robert, Logan, Rory <3 Mesmo sendo um grupo um tanto estranho acredito ter sido o ponto alto de toda a série. Eles mostraram uma Rory mais preocupada em curtir a vida. Voltam no revival com ar de cupidos, já que é a forma romântica do Logan de querer se desculpar e também aparecem em um momento delicado, quando Rory está trabalhando para o Gazeta de Stars Hollow, sem remuneração nenhuma. Na badtrip da profissão. 



LOGAN: 
Gosto do Logan por ele ser parecido com a Rory. O cara é romântico, inteligente e instável como a nossa pequena Gilmore. Se o pior defeito do Huntzberger é mentir e não conseguir manter um relacionamento, vejam o que a Rory fez com o Paul, e até mesmo com o Jess (beijando o cara para se vingar do Logan na sexta temporada). É inegável a semelhança. Os dois se completam e juntos conseguem manter o equilíbrio. E antes de dizerem "nossa, mas ele vai ficar com a odette" eu odiei isso também, mas lembrem-se que ele pediu a Rory em casamento primeiro, lá no final da temporada. 



EMILY GILMORE:
Todos sabemos que a série fala de mulheres fortes mas a reviravolta que a Emily dá é sensacional. Infelizmente não podemos ter o Richard na série e esse período de adaptação - de perda do marido - é sensacional. Em vez de se tornar uma pessoa fria e triste ela consegue segurar as rédeas e segue tomando todas as decisões. O momento em que ela começa a vender e adquirir imóveis que levam o nome dela mostra o poder da independência, não importa a idade. 


LORELAI&EMILY:
CÊS NÃO TEM NOÇÃO DE COMO EU AMOLECI VENDO ESSA CENA. Parece que a Lorelai e a Emily enfim conseguem ter uma trégua em seu relacionamento conturbado. Depois de não conseguir pensar em algo positivo sobre o pai na hora de discursar no enterro, em uma viagem para buscar o sentido da vida, Lorelai liga para a mãe e descreve um bom momento que ambos passaram juntos. Emily agradece e nós meros expectadores ficamos aqui, babões e felicidade pelas duas. 



LORELAI E LUKE:
O que falar desse casal maravilhoso que no meio do revival começa a brigar mas no FINALMENTE no final resolvem juntar as escovas de vez? 



O LIVRO:
Achei genial a ideia de fazer a Rory escrever um livro sobre ela e sua mãe. Nesse momento entendemos que toda essa nuvem negativa veio para esse exemplar ser escrito. Depois de idas e vindas com Lorelai, parece que essa vai ser a ascensão da nossa pequena, já não tão pequena. 

Mesmo prometendo uma série com apenas 4 capítulos de uma hora e meia cada, o anúncio da gravidez da Rory no final deixa uma super brecha para mais episódios. Muitos se perguntam quem é o pai, nas minhas fichas aposto no Logan ou até mesmo na Paris. Oi? Paris? Não esqueçam que ela tem uma clínica com barrigas de aluguel. Tudo é possível. Mas mais importante do que saber quem é o pai da criança é pensar que esse talvez possa ser o começo do circulo. A mãe criando a filha sozinha? Um Logan like Cristopher e um Jess like Luke na vida de Rory? Realmente espero que não. É um tanto quanto duro nadar e não sair do lugar, principalmente para essas três mulheres. 

O que acharam?

2 CM:

  1. Todo mundo fala tanto dessa série, mas nunca assisti, preciso ver um dia.
    Parabéns pelo blog

    http://www.encontreinasentrelinhas.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. VEEEEEEEEEEEEJA SÉÉÉÉRIO <3
      As vezes bate uma saudade e rola até uma vontade de assistir novamente.
      Obrigada pela visita.

      Excluir