Desventuras em série: sobre o livro, o filme e a nova produção do netflix

Faz algum tempo que estou em volta do tema desventuras em série. Vi o filme a alguns anos, consegui comprar o box dos livros a algumas semanas e a alguns dias terminei de assistir a série do Netflix que conta a história dos infortunados irmãos Baudelaire. 

Quem começar a ler essa publicação já deve saber que muitos pontos bordados não terão um final feliz. Tanto o filme quanto a série tiveram pontos altos, mas, lamento dizer, que ambas não cumpriram solenemente a tarefa de contar a história de Sunny, Violet e Klaus. Sinto que tenho a tarefa de pontuar 07 pontos positivos e negativos essenciais dessas duas produções, comparando sempre ao livro - claro. Se faltou assistir alguma coisa, recomendo parar a leitura aqui pois haverá spoilers mais para a frente. 


É sério, haverá spoilers. 
Vamos adiante. 


1- JIM CARREY SEMPRE SERÁ O MELHOR CONDE OLAF
Desculpas profundas aos fãs de Neil Patrick, mas o Jim Carrey realmente soube representar melhor o Conde Olaf. O vilão é realmente um psicopata, que tem foco apenas para si e para a fortuna dos Baudelaire. Olaf se disfarça o tempo inteiro para tentar capturar os irmãos aonde quer que eles estejam. Com Neil Patrick Olaf foi muito linear. Esse egoísmo e loucuras quase cômicas foram melhor transmitidas pelo Jim, que se entregou mais as caricatas do personagem. 


2 - KLAUS DEVERIA USAR ÓCULOS O TEMPO TODO
No filme uma das maiores pisadas na bola foi esse erro. Parece ser algo pequeno, que só fã chato percebe, mas os óculos representando a sede de conhecimento é uma característica essencial do personagem, assim como a fita de Violet e os dentes afiados da Sunny. Ponto para o Netflix nessa, que soube seguir a risca o perfil dos jovens. 


3 - TEM CENA NO FILME QUE NÃO EXISTE
Sabe o que eu consigo entender? Que a ação em um filme é essencial para manter a atenção de quem está assistindo. O problema é quando a produção promete contar a história dos três primeiros livros e inventa coisa no meio do caminho que não existe. Sabe a cena em que Olaf prende os irmãos em um carro? Pois bem, não pertence aos três primeiros livros. 


4 - OS TUTORES DO FILME SÃO MAIS FIÉIS AO LIVRO
Não é só pela Meryl Streep. Juro. No livro temos algumas ilustrações, uma no começo e outra no final, que ajudam os leitores a imaginarem a cena. Tio Monty era um cara baixinho e cabeludo e a Tia Josephine era alta e magra. Tirando esses detalhes, de qualquer forma, todas as interpretações estão boas. 



5 - O NARRADOR PRESENTE NA SÉRIE
EU GOSTEI MUITO DISSO. Lemony Snicket está presente nos livros alertando seus leitores a todo momento de que a história não tem um final feliz. Ele ganhou um espaço na série também do Netflix e a isso só tenho que bater palmas. 



5 - O MR POE DA NETFLIX
O Sr. Poe da série é muito mais interessante do que o do livro. Os dois não acreditam nas crianças, mas esse encara melhor a descrença de que o Conde Olaf está perseguindo os Baudelaire. Trabalhando em um banco o único grande interesse de Poe é ganhar promoções no trabalho, o que muitas vezes fica acima da segurança de Violet, Klaus e Sunny. 



6 - CADA CAPÍTULO É BEM DETALHISTA

É claro que séries são bem mais detalhistas que filmes, elas tem tempo para isso. Foi o que aconteceu em desventuras em série. Cada detalhe de ambiente e até mesmo algumas falas são tiradas extraídas do livro sem nenhuma modificação. 


6 - A SÉRIE É, UM POUCO, CANSATIVA
AAAAAAAAAh eu assumo, cansei assistindo os episódios. Gostei da fotografia, a música me embalou no soninho, mas ela se arrastou em algumas partes. Isso me deixou um tanto quanto desanimada para a próxima temporada. 

Não posso comentar as aparições de personagens que não existem nos quatro primeiros livros mas que estão presentes na série pois, vá que daqui para a frente eles aparecem, mas que foi um tanto confuso para quem leu foi. Havia alguém tentando ajudar os Baudelaires? Ah! e não pensem que não notei que havia três trigêmeos Quagmire quando na verdade deveria haver apenas dois. 


Ansiosos para a próxima temporada, ou né? 

2 CM:

  1. Eu achei a ideia de colocar o Lemony Snicket na história uma ótima sacada! Dos livros, só li o primeiro, (por uma questão de acho os livros individuais muito caros e não tenho dim dim pra comprar o box completo haha) Mas, gostaria muito de dar continuidade a leitura, pois me apaixonei pelos irmãos Baudelaire!
    Gostei da série, mas como você bem concluiu, é meio cansativa sim! Continuarei assistindo porque vi muitas outras qualidades na produção, mas eles poderiam dar um ritmo melhor aos episódios para tirar essa sensação, né?
    Adorei o post, você destacou diversos pontos bacanas!
    Beijos!
    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daaaaaai.

      Tente ler os livros. São bons.
      Fiquei triste por quase dormir em alguns capítulos. Acho que a trilha sonora ajudou bastante a dar esse climax de sono, mas realmente espero que melhore para seguir assistindo.

      Abraçãããão <3

      Excluir